O Inferno em Sintra foi há 48 anos.
O maior fogo até hoje registado na Serra de Sintra, ocorreu entre os dias 6 e 12 de Setembro de 1966.
O incêndio alarmou toda a população de Sintra, tem-se conhecimento de que foi um guarda florestal a primeira pessoa a comunicar à administração florestal, por volta das 12 horas do dia 6 de Setembro, que havia fogo na propriedade da Penha Longa. Para o local seguiram os bombeiros de S.Pedro de Sintra às 12h57 e os Bombeiros de Colares duas horas depois foram alertados.

Embora à noite tudo levasse a crer que o fogo estava praticamente dominado, a verdade é que, apesar de todos os esforços desenvolvidos para extinguir o incêndio ao romper da madrugada seguinte, as chamas começaram a descer a encosta virada a norte, tendo devorado toda a zona verde da Quinta do Saldanha, Penha Longa, Lagoa Azul, Quinta de vale Flor (conhecida pela mata da Malhada e pelo Cabeço do Forcado), Mata Ruiva e Parque da Mata de Dª. Maria, Rio da Mula e Quinta dos Pisões.

A meio da tarde, é lançado através das rádios, um apelo a todas a entidades civis e militares, que possuíssem auto-tanques, para colaborarem no combate ao fogo, mandando concentrar todos os veículos na Lagoa Azul e no Largo da Palácio Nacional da Vila Sintra.
José Luís Filipe, no livro Os Bombeiros Voluntários de Sintra.

Share